FamilyLifestyle

Artigo familiar com os melhores conselhos.

BWJP dá as boas-vindas a Rebecca Henry, JD, MA, nossa nova Diretora de Programas

3 min read
[ad_1]

BWJP dá as boas-vindas a Rebecca Henry, JD, MA, nossa nova Diretora de Programas

Rebecca trabalha para aliviar a violência de gênero há 25 anos, representando detentas abusadas por guardas, lidando com casos complexos de custódia com sobreviventes, desenvolvendo treinamento e assistência técnica para defensores de vítimas e fornecendo consultoria especializada a funcionários legislativos. Mais recentemente, Rebecca atuou como Conselheira Geral da Comissão de Violência Doméstica e Sexual da American Bar Association (CDSV), onde atuou como especialista em todos os aspectos da violência baseada em gênero e da lei para a liderança e funcionários da ABA, legisladores, advogados , juízes, mídia e outros. Lá, ela gerenciou todas as atividades e orçamentos do programa, contratou e supervisionou a equipe, realizou o planejamento estratégico e serviu como contato da equipe com os membros. Ela possui mestrado em Filosofia e Teoria Feminista pela Universidade de Minnesota e mestrado pela Universidade de Nova York.

“O excelente serviço de Rebecca como Conselheira Geral da American Bar Association deixou claro que ela é a melhor escolha para se tornar nossa primeira Diretora de Programas” disse o CEO Sánchez. “Seu intelecto profundo, resolução criativa de problemas e habilidades jurídicas afiadas serão fundamentais para liderar nossos centros nacionais na abordagem das questões jurídicas mais difíceis que afetam os mais marginalizados em nossa sociedade”.

Conheça Rebeca

P: O que o trouxe para o campo da violência de gênero?

Rebeka: Acho que me interesso por justiça e direitos das mulheres desde o ensino fundamental! É uma história sinuosa que me levou a um programa de doutorado em ética feminista antes de me formar na faculdade de direito. Na graduação, passei um ano de estágio trabalhando na Planned Parenthood, onde a maioria das mulheres que conheci lidava com violência baseada em gênero e coerção reprodutiva. Na minha clínica da faculdade de direito, representamos detentas (a grande maioria com histórico de RN) que foram apalpadas e agredidas por guardas sob o pretexto de revistas corporais. Meu primeiro trabalho legal foi representar sobreviventes em disputas de custódia complexas, onde comecei a ver em primeira mão como os sistemas legais não são realmente projetados para servir à justiça, mas à conformidade. Tudo isso me trouxe um círculo completo para imaginar maneiras práticas de alcançar melhores resultados legais para os sobreviventes e trabalhar para adaptar os sistemas às necessidades dos marginalizados. É um trabalho que tenho muito orgulho e prazer em fazer.

P: O que fez você querer trabalhar na BWJP?

Rebecca: O BWJP é um parceiro comunitário tão diversificado, criativo e frutífero, que se esforça para corresponder à sua visão e ideais para praticá-los com intenção. Eu estava ansioso para ter a oportunidade de colaborar com essa equipe de especialistas e inovadores.

P: O que você está mais ansioso para fazer no BWJP?

Rebecca: Adoro que o BWJP esteja se reinventando, firmemente ancorado em décadas de trabalho de ponta, enquanto se esforça para expandir e evoluir. Estou muito animado para fazer parte dessa evolução.

P: Como você gosta de passar seu tempo fora do trabalho?

Rebecca: Adoro resolver quebra-cabeças, e isso inclui tudo, desde palavras cruzadas até refazer o encanamento do meu bangalô centenário. Meu projeto atual é uma reabilitação completa de um trailer antigo, com a graça e paciência de minha generosa esposa.

TAGS: #BWJP Anúncios

[ad_2]
Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *